« Home | a história de amor de Abelardo e Heloísa e a moral... » | K2O3 » | a guerra é a guerra (no céu e a terra) » | pequeno manifesto a favor manutenção da materialid... » | a cicatriz dos seres marítimos » | os homens-bombo » | a verdadeira história de um amor desencontrado - I... » | a verdadeira história de um amor desencontrado - I... » | odara » | porquê eu? » 

13 julho 2004 

homo sapiens sapiens


Entrou pela aldeia dentro era já noite. Passou rasteira de arbusto em arbusto, como quem não quer acordar as estrelas. Alguém a viu e disse é tão grande que parece levar óculos. Ameaçada, procurou apressadamente um canto qualquer. Desconhecia ainda que, na berma da estrada, lhe fariam provar o sabor prateado da lâmina de enxada. Ah peçonha da natureza, o diabo te carregue agora, cuspiram então. Ela não sabia que os homens não sabiam que as cobras com olhar aparvalhado não fazem mal a ninguém.

|