« Home | xeque ao rei » | moral para girinos » | o arrebatamento místico do activista (porque hoje ... » | a corrente » | elogio del sol » | encenação e delito » | roleta russa » | porque ainda é abril » | final (mas só o final) de um conto » | o nome do nome » 

05 maio 2005 

vícios



Hoje à tarde não estive em Itapoã. Mas ela esteve aqui. Ela, a voz de Vinícius e o depoimento dos amigos. Diz Chico Buarque: "Eu lembro um show em Portugal que a gente fez, em Coimbra e tal, aqueles estudantes todos e foi um final apoteótico. O show foi um sucesso danado. Os estudantes de esquerda e tal. Aí, o Vinícius terminou, depois do décimo bis, aí, o copo de uísque na mão e ele disse assim: agora eu queria fazer uma saudação especial à mocidade portuguesa. Aí, o público, de repente, começou a vaiar, começou a vaiar, a vaiar, a vaiar, e o Vinícius continuava agradecendo as vaias como quem agradecesse aplausos. Aí, depois, fui saber que mocidade portuguesa é uma coisa tipo juventude hitlerista que tinha lá no tempo de Salazar." E relembra Tom Jobim: "Vinícius era múltiplo, dizia, senão ele seria Viniciu de Moral, e ele não era, ele era o Vinícius de Moraes".

|